Tag: tubulações

Classificação de Serviços de Sistemas de Tubulações conforme Norma ASME B31.3 e em função da Deterioração e Condições de operação

Classificação de Serviços de Sistemas de Tubulações conforme Norma ASME B31.3 e em função da Deterioração e Condições de operação

Serviço é um termo geral aplicável à condição de operação de um sistema de tubulações, considerando a combinação das propriedades químicas e físicas do fluido, processado ou transportado, os contaminantes presentes, as condições operacionais (pressão e temperatura), e outros fatores como tipo de ataque corrosivo, toxidez e explosividade, que estabelecem as bases para projeto e construção do sistema.
A Norma ou código de projeto e construção de tubulações ASME B31.3, utilizado nas tubulações de plantas de processo e de utilidades de Refinarias e Petroquímicas, define os Serviços de Tubulação a considerar, no projeto e fabricação, e apresenta um guia para a seleção do serviço correspondente da tubulação.

Projeto, Fabricação, Montagem, Inspeção e Testes de Sistemas de Tubulação em Serviço Tóxico

Projeto, Fabricação, Montagem, Inspeção e Testes de Sistemas de Tubulação em Serviço Tóxico

Um sistema de tubulações é classificado como em Serviço Tóxico quando opera com um fluido tóxico, em que uma simples exposição, à quantidade ainda que muito pequena causada por vazamento, pode produzir dano sério e irreversível às pessoas, por inalação ou contato corporal, mesmo que prontamente seja prestado o devido socorro. As tubulações que contenham este fluido tóxico, como produto ou como um contaminante, e em que o risco de exposição de pessoa(s), no caso de vazamento, é considerado significativo, devem ser projetadas e construídas com requisitos particulares.

Serviço Corrosivo com Águas ácidas

Serviço Corrosivo com Águas ácidas

As águas ácidas são geradas durante o processamento em refinarias de petróleo, formadas a partir de correntes aquosas de descarte das unidades operacionais, sendo a maior parcela oriunda da UFCC- Unidade de Craqueamento Catalítico Fluidizado, e encaminhadas para a UTAA – Unidade de Tratamento de Águas Ácidas.
Os contaminantes presentes nesta água são: H2S, Amônia, CO2, Cloretos, Fenós, Mercaptans e Cianetos.
E os agentes corrosivos resultantes são: tiossulfetos e bissulfeto de amônio, ácido sulfídrico, cloreto de amônio, cianetos livres e ácido carbônico.
Os aços Carbono são os mais afetados e os aços inoxidáveis, ligas de cobre e ligas à base de níquel são geralmente resistentes.

Uso de ligações com roscas em equipamentos e tubulações

Uso de ligações com roscas em equipamentos e tubulações

São analisados os seguintes tópicos:
Normalização dos tipos de roscas utilizados em equipamentos e tubulações;
Definição da utilização ou não de conexões roscadas;
Condições de uso de acessórios e conexões com extremidade roscada, em tubulações e equipamentos e em tomadas para instrumentação, em Serviços com Hidrocarbonetos e outros Serviços críticos.

Instruções para remoção ou selagem de Conexões Roscadas existentes de Equipamentos e Tubulações que operam em  Serviços Críticos e Perigosos

Instruções para remoção ou selagem de Conexões Roscadas existentes de Equipamentos e Tubulações que operam em Serviços Críticos e Perigosos

Este procedimento define a sistemática e os critérios para a eliminação de conexões roscadas existentes em equipamentos e tubulações, operando em serviços críticos ou perigosos, que contemplam hidrocarbonetos e outros produtos inflamáveis, fluidos tóxicos ou poluentes, nos estados, líquido, vapor ou gás, em qualquer pressão, e demais produtos em alta pressão (≥ classe 600).
O uso de componentes e acessórios com rosca está proibido em equipamentos e tubulações que trabalham em serviços críticos ou perigosos, ou seja, aqueles em que, no caso de vazamento, acarreta risco de explosão, autoignição, fogo, toxidade ambiental, jato de alta pressão (pressão ≥ classe 600).

Corrosão Sob Tensão (CST) por Ácidos Politiônicos

Corrosão Sob Tensão (CST) por Ácidos Politiônicos

A corrosão por ácidos politiônicos é um caso de corrosão sob tensão e o material suscetível são os aços inoxidáveis austeníticos (série 300), principalmente quando sensitizados; a tensão pode ser proveniente da fabricação ou soldagem ou decorrentes da operação e o meio são os ácidos sulfurosos, que surgem nas paradas dos equipamentos e tubulações.
É uma forma de trincamento que ocorre normalmente durante paradas, partidas ou durante operação quando ar e umidade estão presentes.

Requisitos de juntas de vedação tipo espiralada construção com densidade controlada

Requisitos de juntas de vedação tipo espiralada construção com densidade controlada

Definir os requisitos de qualidade mínimos aplicáveis à fabricação de junta de vedação do tipo em espirais ou espiralada ou espirotálica (“spiral wounded”), de densidade controlada, a ser usada em ligações flangeadas de face com ressalto de equipamentos, válvulas e tubulações, de instalações industriais.

Newsletter

Seja notificado sempre que um novo conteúdo estiver disponível.

Não se preocupe, não temos prática de enviar spam.